sexta-feira, 30 de julho de 2010

Número de queimadas aumentou este ano

Jornal Correio


O número de incêndios em lotes vagos dentro da cidade e áreas verdes à beira de rodovias no entorno de Uberlândia, no primeiro semestre deste ano, é três vezes maior do que no mesmo período do ano passado. De acordo com dados divulgados pelo Corpo de Bombeiros, até o dia 18 de julho deste ano foram registradas 258 ocorrências contra 73 em 2009, o que gerou um aumento de 353% na quantidade de registros.
Nos lotes vagos, em 2010, foram 204 registros, 323% a mais do que no primeiro semestre de 2009, quando foram notificadas 63 ocorrências. Já nos campos, pastagens, matas e florestas à beira de rodovias, os números são ainda mais expressivos, com um aumento de 540% em relação ao ano anterior. Ao todo foram 54 ocorrências este ano e dez em 2009.
De acordo com o soldado Fernando Rodrigues, do 5º Batalhão de Bombeiros Militar, o crescimento pode ser explicado pelas condições climáticas. “Neste ano, o clima está mais seco e com vento, o que propaga ainda mais os incêndios. Podemos balizar também pelo número de ocorrências que atendemos em relação a inundações, que neste ano foi bem menor que no ano passado”, disse.
Segundo o Departamento de Climatologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em 2010 foram registrados menos dias chuvosos do que no ano anterior. Ao todo foram 54 dias de chuva este ano contra 61 em 2009, o que, para o professor Paulo César Mendes, pode explicar o aumento do número de incêndios. “Além de ter menos chuvas, este ano os dias chuvosos foram mais concentrados no 1º trimestre. Isso possibilitou que a vegetação secasse mais rápido, o que facilita os incêndios neste período que é tradicionalmente mais seco”, afirmou.
Maioria dos incêndios é criminoso
Tanto os incêndios em lotes vagos quanto em áreas próximas a rodovias causam estragos ambientais e podem afetar várias pessoas. Dentro da cidade, a fumaça incomoda moradores, além de gerar infestações de ratos e insetos que ficam nos lotes e são espantados pelo fogo. Na beira de rodovias, os incêndios espalham fumaça na pista, o que impede a visibilidade dos motoristas e pode gerar acidentes.
De acordo com o soldado Fernando Rodrigues, do 5º Batalhão de Bombeiros Militar, os incêndios são provocados intencionalmente. “Mais de 90% das ocorrências são criminosas. Algumas pessoas têm a verdadeira intenção de provocar o incêndio para `limpar` uma determinada área e acabam perdendo o controle do fogo, gerando grandes estragos”, afirmou.
APP
Segundo o supervisor do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Edno César da Silveira, algumas Áreas de Preservação Permanente (APP) têm sido afetadas por estes incêndios, mas não há muito a se fazer.
“É muito difícil controlar, nem sempre dá para flagrar os criminosos, mas quando são pegos, são punidos”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário